Rádio Boa Nova – De Oliveira do Hospital para todo o mundo.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

FIGURAS - BENEMÉRITO JOAQUIM GARCIA DE ALMEIDA

SALÃO DO BAIRRO COM O NOME DO BENEMÉRITO EM AZULEJO
O benemérito Joaquim Garcia de Almeida era um homem simples e de uma bondade cativante. Vivia na companhia de duas irmãs, senhoras de fino trato e esmerada educação. Sendo solteiro, não tinha herdeiros. Assim o povo perguntava porque é que ele era tão poupado, se não tinha ninguém que herdasse a sua considerável fortuna. Acontece que ele tinha um sonho só próprio de grandes homens: investir a sua fortuna numa obra que bafejasse as famílias mais pobres da sua terra e nesse tempo havia muita miséria. Assim, à sua morte, deixou em testamento valor suficiente para a construção de um bairro social. A obra nasceu e o dito bairro, designado por Obra Social Joaquim Garcia de Almeida, foi inaugurado em 1956. As casas foram atribuídas a seis famílias das mais numerosas e de parcos recursos, com rendas simbólicas. As casas têm três quartos, sala, cozinha, casa de banho e loja para arrumações. Divisões amplas e arejadas. Cada casa tem ainda um espaço para jardim. Actualmente há três casas desabitadas, apesar das baixas rendas pedidas. Mais um sintoma da desertificação da aldeia. O bairro, feito pela Junta de Freguesia de Lagos da Beira, pertence à Fundação Aurélio Amaro Dinis. Como lá foi parar é um mistério.


BAIRRO SOCIAL JOAQUIM GARCIA DE ALMEIDA